top of page

6 erros. Como fazer negócios certo?

Planejar e lançar o seu próprio negócio é uma adrenalina pura e muitas esperanças. Parece que tudo precisa de ser feito com máxima urgência. Não vamos revelar a você os segredos de um negócio de sucesso. O outro lado da moeda da "sorte repentina" geralmente é resiliência, perseverança e previsão. Também os erros do passado. Os grandes e os pequenos.


Vamos falar sobre os erros típicos e frequentes cometidos não só por iniciantes, mas também por quem já está no mercado há muito tempo. Sobre o que consome dinheiro, tira forças, leva à decepção, leva ao endividamento. Sobre as experiências ruins e esperanças ilusórias.


Erro nº 1. Escolha de um nicho errado

Escolher um nicho é uma das decisões mais importantes que determinam o sucesso ou o fiasco. Não vale a pena ter pressa. Antes de tudo, um nicho precisa de ser analisado à presença de demanda e fundos livres nele, para descobrir quanto lucrativo ele é. Estudar o público-alvo e o nível dos concorrentes pode levar muito tempo, mas sem esse conhecimento nem deve fazer o primeiro passo.


Capacidade do mercado é o número dos clientes potenciais com o problema que você se propõe a resolver. Para entender se a sua ideia será procurada, verifique sua popularidade pelo número de pesquisas no Google. Digite 2-3 frases-chave na barra de pesquisa e procure por consultas em sua região. Se forem mais de 1000 por mês, então existe uma demanda, cada centésimo pode virar seu cliente.


Erro nº 2. Não pense em dinheiro

"Faça o que ama." Este conselho tem sido dado há décadas por gurus da Internet e os treinadores sem educação.


Afinal, pode acontecer que o seu passatempo favorito não seja lucrativo, como uma ideia de negócio, ou não haja demanda para o produto que pense em produzir. É um hobby, não um negócio.


Não faça o que ama; faça algo em que está bom, o que tem demanda e o que será bem remunerado.


A demanda cria a oferta. Não se engane que conseguirá transmitir ao público o valor do produto que você oferece. Se as próprias pessoas não sentirem necessidade de um produto, elas não vão querer comprá-lo. O negócio não vai suceder.



Erro nº 3. Pensar só acerca de um produto

Qualquer empresa, pequena ou grande, baseia-se em cinco "pilares":

  • produtos

  • marketing

  • vendas

  • finanças

  • gerenciamento

Investir em desenvolvimento de produtos e não pensar em clientes, promoção e vendas é um erro fatal. O consumidor não precisa do melhor produto, mas de um produto de qualidade decente e com preço certo. Como e de onde ele vai saber disso? Como ele encontrará seu site? Porquê ele vai querer comprar o seu produto? Sem todos os “pilares”, o negócio vai falir rapidamente.


Erro nº 4. Não calcular o ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio é o valor que uma empresa deve ganhar para garantir o sustento dos seus participantes, cobrindo todos os custos (fixos e variáveis). Infelizmente, muitos empresários não calculam o ponto de equilíbrio e não entendem quanto precisam ganhar por mês para que os lucros cobrassem os custos. Isso é especialmente importante quando a margem comercial precisa levar em conta retornos, produtos defeituosos e muito mais. Calcule o cheque médio e o número necessário de clientes por mês para, pelo menos, cobrir os custos.


Erro nº 5. Um erro comum é não separar os fundos pessoais e o dinheiro empresarial.

Cada empresário tem de entender que até no seu negócio ele recebe um salário. Como e quando receber— é uma decisão dele, pode ser diariamente, pode ser uma vez por mês. Pode gastar esse dinheiro como quiser. E há fundos que tem sempre que deixar dentro da empresa, eles são necessários para o trabalho, são invioláveis ​​para consumo pessoal e devem ser planejados.


Erro nº 6. Começar sem plano de negócios

Não estamos falando de um plano de negócios clássico com muitas páginas. Estamos falando dos cálculos mínimos, que levam em conta:

  • o custo de abertura de um negócio (compra de equipamentos, software, aluguel de instalações);

  • o custo da primeira compra ou envolvimento de especialistas;

  • custos variáveis;

  • despesas que possam advir do volume de compras e giro de mercadorias (créditos, juros ao banco, comissão bancária);

  • despesas de promoção, marketing e publicidade (preliminares e muito aproximadas);

  • acquiring (ou como é que pagará por bens e serviços).

Somente depois de ter visto esses números reais, pode entender quanto dinheiro é necessário para iniciar uma determinada ideia de negócio.


Dropshipping

Ao tomar decisões para entrar no negócio, precisa determinar e calcular dois números com a maior precisão possível. O primeiro é o orçamento inicial, o segundo é o valor das despesas mensais.


Se no estágio inicial não tiver fundos livres suficientes, considere um esquema em que o vendedor obtenha lucro com a venda de mercadorias do depósito do fornecedor— dropshipping. Trata-se de um modelo de negócio simples e de baixo risco, onde o fornecedor é responsável pela qualidade e entrega do produto. O lucro do vendedor é a diferença entre o preço do fornecedor e o preço estabelecido pela loja online. O dropshipping pode escalar com um lucro médio de 15% a 20%.


Arabesco sideral: a escolha inconfundível

Ao trabalhar com a Arabesco Sideral, comprando e vendendo por meio de sua plataforma, tem a garantia de receber lucro e obter um parceiro permanente e comprovado, interessado no sucesso contínuo e constante de todas as suas contrapartes. Dropshipping está se tornando uma espécie de filosofia de comércio eletrônico. A Arabesco Sideral Unipessoal atua como agente, ajuda a vender mercadorias, conecta dropshippers e fabricantes, trabalha com os parceiros de negócios regulares.




Comments


bottom of page